Resultados: 5

Vivências de adultos submetidos ao transplante de medula óssea autólogo

Ciênc. cuid. saúde; 11 (2), 2012
Este artigo, que apresenta as vivências de adultos submetidos ao transplante de medula óssea autólogo, resulta de uma investigação qualitativa, do tipo estudo de caso, envolvendo sete pessoas com idades entre 18 e 59 anos, residentes em um município do Interior de Minas Gerais, que vivenciaram este...

A vida após o transplante de medula óssea: implicações para o cotidiano

Cogitare enferm; 17 (2), 2012
Estudo qualitativo buscou compreender as vivências de adultos submetidos ao transplante de medula óssea autólogo e identificar as implicações no cotidiano dos sujeitos que o vivenciam. Foram realizadas entrevistas orientadas por roteiro semiestruturado, com sete adultos transplantados residentes em ...

Autocuidado após o transplante de medula óssea autólogo no processo de cuidar pelo enfermeiro

Rev. RENE; 13 (5), 2012
Este artigo apresenta uma investigação qualitativa, apoiada nos pressupostos teóricos de Dorothea Orem, que objetivou compreender como as orientações fornecidas no momento da alta sobre os cuidados relacionados ao transplante de medula óssea influenciam no autocuidado após a alta. Foram sujeitos s...

Todo mundo tem um pouco: parâmetros para para a atuação do enfermeiro no Centro de Atenção Psicossocial - CAPS

Nursing (Säo Paulo); 8 (81), 2005
Este trabalho visa apresentar alguns parâmetros para atuação do enfermeiro nos Centro de Atenção Psicossocial - CAPS, construídos a partir da realização de um projeto para a melhoria da qualidade de vida de indivíduos portadores de sofrimento psíquico. As propostas são desenvolvidas por acadê...