INCIDÊNCIA E FATORES RELACIONADOS AO APARECIMENTO DE LESÕES POR PRESSÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA

Estima (Online); 19 (1), 2021
Publication year: 2021

Objetivos:

identificar a incidência e caracterizar as lesões por pressão em unidade de terapia intensiva adulta quanto à ocorrência, locais e fatores de risco, e verificar se há associação entre esses e o surgimento das lesões.

Método:

estudo observacional, coorte, prospectivo, desenvolvido em unidade de terapia intensiva de hospital terciário, de outubro a dezembro de 2019. A população constitui-se de adultos em primeiro dia de internação na unidade, sem lesão por pressão na admissão. Os participantes foram acompanhados durante a internação e variáveis sociodemográficas e clínicas, assim como avaliação do risco de desenvolver lesão por pressão, avaliação da pele e escala de Braden foram coletadas diariamente. Empregaram-se testes de Qui-quadrado de Pearsone teste t de student para avaliar as relações entre variáveis e lesões. Para as análises foi considerado nível de significância (α) de 5%.

Resultados:

foram incluídos 40 participantes, 20% apresentaram lesão por pressão com predominância dos estágios 1 e 2; os principais locais afetados foram a região sacral seguida pelo calcâneo. O tempo médio de internação foi 23,38 dias para o grupo com lesão e 5,77 dias para o grupo sem lesão; o tempo apresentou relação significativa com o surgimento das lesões (p=0,002).

Conclusão:

conclui-se que o local mais acometido foi a região sacral e grau 1 o estadiamento mais frequente; o tempo de internação foi a variável que influenciou o surgimento de lesões.

Objectives:

identify the incidence and characterize pressure injuries in an adult intensive care unit regarding the occurrence, locations and risk factors, and verify whether there is an association between these and the appearance of the injuries.

Method:

observational, cohort, prospective study, developed in an intensive care unit of a tertiary hospital, from October to December 2019. The population consists of adults on the first day of admission to the unit, without pressure injury at admission. Participants were monitored during hospitalization, sociodemographic and clinical variables, and risk assessment of developing a pressure injury, skin assessment and Braden scale were collected daily. Pearson’s chi-square tests and student’s t-test were used to assessing the relationship between variables and injuries. For the analyzes, a significance level (α) of 5% was considered.

Results:

40 participants were included, 20% had pressure injuries with a predominance of stages 1 and 2; the main affected sites were the sacral region followed by the calcaneus. The average hospital stay was 23.38 days for the injured group and 5.77 days for the non-injured group; time showed a significant relationship with the appearance of lesions (p = 0.002).

Conclusion:

it was concluded that the most affected site was the sacral region and grade 1 was the most frequent staging; length of stay was the variable that influenced the appearance of injuries.