Práticas preventivas e fatores de risco para câncer cervicouterino entre docentes universitárias

REME rev. min. enferm; 13 (2), 2009
Publication year: 2009

Estudo descritivo com abordagem quantitativa, cujos objetivos foram: traçar o perfil das docentes da UniversidadeFederal de Sergipe quanto à idade, estado civil, formação acadêmica e tipo de assistência à saúde; avaliar se asdocentes realizam o exame Papanicolaou como prática preventiva para o câncer de colo de útero; e identificarfatores de risco presentes para esse tipo de câncer. A amostra foi composta por 87 docentes e os dados colhidos nosmeses de outubro e novembro de 2007. Os resultados revelaram que no grupo estudado predomina a faixa etáriaentre 23 e 42 anos (70,1%); como estado civil, as casadas ou em união estável (58,6%); o nível de escolaridade émestrado ou doutorado (54,1%). Além disso, a maior parte possui convênio de saúde (87,3%) e procura os serviçosde saúde para realizar o exame de Papanicolaou (94,3%). Dentre os motivos apresentados para a não realização doexame, encontrou-se acomodação, falta de tempo, boa saúde e desconforto. Os fatores de risco predominantes, naordem, foram: uso de contraceptivos (86,5%); não uso de preservativo (56,8%) e multiplicidade de parceiros (23,0%);dentre outros, com menor frequência. Concluiu-se que as docentes estudadas realizam cuidados preventivos noque tange ao câncer de colo de útero, apesar de apresentarem fatores de risco importantes.